O sector de produtos biomédicos é um dos que melhor pode tirar proveito do valor acrescentado da fabricação aditiva por várias razões.

 

Em primeiro lugar, fabricar material por camadas permite obter ‘implantes com zonas porosas’, em que os poros são ‘feitos à medida, com tamanho controlado’ e ‘muito bem ligados’. Alguns estudos indicam que as células ósseas crescem muito bem através do titânio fabricado por meio de fabricação aditiva e produzem uma excelente osteointegração do implante. Os implantes de titânio fabricados por meio desta tecnologia combinam um corpo sólido com regiões porosas numa única peça, o que lhes permite oferecer altas prestações e uma elevada osteointegração.

 

Em segundo lugar, a maioria das peças fabricadas por meio de fabricação aditiva geralmente requerem um pós-processamento mecânico para obter uma qualidade superficial similar à que se obteria por meio de mecanização. No entanto, nos implantes médicos esta peculiaridade é vantajosa, já que a rugosidade superficial é um fator positivo, visto que permite uma melhor fixação do implante ao elemento ósseo.

 

Em terceiro lugar, a “liberdade de formas e projeto” que caracteriza as peças fabricadas por meio da fabricação aditiva, é essencial, já que permite produzir implantes absolutamente personalizados, à medida do paciente em questão.

Finalmente, mas não menos importante, a fusão seletiva dos materiais quando se usa este tipo de tecnologias, geralmente produz-se em atmosfera especial (gás inerte ou vazio) que dá às peças uma pureza elevada.

 

Os implantes médicos são um dos nichos de mercado mais importantes da tecnologia SLM. Da mesma forma que o corpo humano, trata-se de peças personalizadas e únicas. A tecnologia SLM tem muitas vantagens nesta aplicação, incluindo: a possibilidade de fabricação de formas complexas e personalizadas, a rapidez no desenvolvimento de uma solução (a partir de uma tomografia da zona a reconstruir podemos projetar um implante à medida), a redução do tempo e das complicações cirúrgicas (pode ajustar-se o implante em modelos antes da operação sobre moldes ou esqueletos fabricados em polímero a partir da zona a reconstruir) e a possibilidade de fabricação de estruturas leves e graduais com uma maior compatibilidade biomecânica, conforto e osteointegração.

Além de seus próprios implantes e próteses, a fabricação de instrumentos cirúrgicos é outra aplicação da tecnologia SLM.